20 Outubro 2019

‘Menos de 1% do PIB é investido em infraestrutura’, alerta deputado

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Novas regras de desburocratização e que atraiam investimentos em infraestrutura estão em debate no Congresso Nacional por meio de uma comissão especial criada para discutir o assunto. O PL 3.4253/2008, que altera a Lei de Licitações, é ponto de partida de um relatório que será elaborado com um conjunto de medidas para estimular obras que atendam um dos maiores gargalos da agricultura e outros setores da economia brasileira.

Para debater o tema, o programa Direto ao Ponto deste domingo, 20, convidou o relator do PL, deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP), e o consultor de infraestrutura e logística do Instituto Pensar Agro (IPA), Evaristo Pinheiro.

A criação do novo marco regulatório das parcerias público-privadas (PPP´s), concessões e fundos de investimento em infraestrutura fazem parte da agenda econômica defendida pelos membros da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). O objetivo é criar estratégias para a retomada do crescimento com a garantia de mais segurança jurídica para os investidores e oferta de serviços mais eficientes para os usuários. A expectativa do deputado Arnaldo Jardim é que o seu relatório esteja pronto para ser debatido em votado até o final de outubro.

O parlamentar reforçou que o investimento público para infraestrutura não atende as necessidades do país. “Menos de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) foi aplicado no setor”, disse. O parlamentar esclarece que o caminho é recorrer aos investimentos privados que virão por meio de um marco regulatório que traga regras claras e destrave as PPP´s no Brasil. “Um instrumento fundamental para alavancar a retomada do desenvolvimento e melhorar a qualidade dos serviços oferecidos à população”.

O consultor do IPA concorda que o gargalo que existe na infraestrutura do país acaba prejudicando a competitividade dos produtos brasileiros, especialmente aqueles oriundos do agronegócio. “A gente tem um grande desafio de reduzir de 12% o custo de logística para, pelo menos, algo em torno de 8%, 9%. O Brasil já é bastante competitivo (na agricultura), mas precisamos ser ainda mais”, afirma. Segundo ele, o Brasil já vem fazendo concessões e PPPs, mas é preciso aprimorar o marco regulatório atual. “Primeiro, segurança jurídica, que é fundamental pra atrair o investidor, seja ele no Brasil ou exterior”.

Evaristo Pinheiro ressaltou ainda as propostas enviadas pelo IPA ao Congresso e considera três pilares fundamentais, como a concorrência, a transparência e a importância de uma maior participação dos usuários na governança das concessões.

“A avaliação de desempenho será diretamente observada pelo usuário”, disse ao se referir às sugestões da entidade para o marco regulatório. Na questão da transparência, Pinheiro afirmou que é necessário que as informações de uma concessão sejam públicas quando envolver recurso público.

“O contrato tem que ser público, as multas que as concessionárias receberem devem ser divulgadas, os resultados das disputas que a concessionária tenha feito também, além dos preços. Isso permite que o usuário possa fiscalizar, tanto a prestação do serviço, quanto se o contrato está sendo cumprido ou não”, sugere o consultor.

O relator do PL conta que o novo marco regulatório vai contemplar novas formas de financiamento e acredita também que esse novo modelo vai trazer mais segurança jurídica. Segundo ele, o caminho para incentivar investimentos, principalmente, em transportes, já que o país carece de melhores estradas, ferrovias e hidrovias é por meio das concessões.

“O sistema ferroviário é um dos que pode ser desenvolvido com base em concessões. Ou seja, quando tiver que transportar uma carga, você faz uma concessão desse serviço, onde as pessoas cobram tarifa, ou quando a tarifa não é suficiente, o governo entra com infraestrutura, com algum tipo de contribuição”, esclareceu.

Evaristo defendeu que além de todo o aprimoramento com a questão da segurança jurídica, é preciso ainda dar mais competitividade ao produtor rural. “A gente precisa de mais concorrência nas licitações, de PPPs e concessões, o que vai gerar uma melhor prestação de serviço e uma tarifa menor”.


Fonte Canal Rural

Mais Notícias

Coronavírus: produtor dobra número de entregas de hortaliças

26-03-2020

Um produtor familiar do Rio Grande do Sul precisou dobrar a produção de hortaliças por conta do aumento da demanda de quem mora na cidade e está em quarentena por conta do novo coronavírus.Mateus Trevisan, agricultor do município de Viamão, relata sua experiência em atender seus clientes que estão em isolamento por conta da doença. Ele afirma que o...

Leia mais...

Coronavírus: ministro da Saúde diz que agro está segurando economia

26-03-2020

Durante coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, 25, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ressaltou que o Brasil não pode parar e por isso a importância dos serviços essenciais. Mandetta diz que é difícil neste momento determinar o que é fundamental e usou como exemplo o chaveiro, que para quem perdeu a chave de casa, passa a ser ...

Leia mais...

Benedito: ‘Problema no escoamento do leite poderia ter sido evitado’

26-03-2020

O avanço do coronavírus pelo Brasil já afeta diversas cadeias produtivas do país, um dos setores é o de leite. Para o comentarista do Canal Rural Benedito Rosa, é preciso ter um plano de ações para as consequências já previsíveis.“Algumas consequências são imprevisíveis e isso é fato. Mas outras são, e poderiam ter sido evitadas pelo governo,...

Leia mais...

Com comércio fechado, laticínios não conseguem vender produtos 

26-03-2020

Com as feiras agropecuárias sem previsão para acontecer e o comércio fechado, produtores de queijo do Nordeste encontram dificuldades para comercializar os seus produtos, de acordo com levantamento feito pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Segundo Bruno Lucchi, superintendente técnico da entidade, entre a quarta, 25 e a qui...

Leia mais...

Chuvas devem voltar ao RS, mas ainda com baixos acumulados; saiba quando

26-03-2020

De acordo com a Somar Meteorologia, o excesso de chuva nas áreas no norte do Brasil indica que falta umidade em outras partes do Brasil. No Sul contabilizam-se cinco meses de irregularidades na distribuição das chuvas com um déficit hídrico em torno de 150 a 200 milímetros no período. O excesso de água tem prejudicado a colheita no Matopiba, divers...

Leia mais...

Autoridades e trabalhadores unem esforços para manter o fluxo do agro

26-03-2020

No último sábado, 2, o governo federal publicou um decreto estabelecendo que produção, distribuição e comercialização de alimentos e bebidas são atividades essenciais e, portanto, não podem ser interrompidas durante a crise  provocada pelo coronavírus. Mesmo assim, medidas locais de municípios e Estados restringem a circulação de transportadores de...

Leia mais...

Coronavírus : auditores agropecuários continuam trabalhando intensamente

26-03-2020

Auditores Fiscais Federais Agropecuários que atuam diretamente na inspeção de produtos de origem animal e vegetal, nas certificações para exportação e ingresso de produtos nas aduanas, alfândegas, portos e aeroportos permanecem em plena atividade durante a pandemia de Covid-19. Os profissionais estão mantendo todos os cuidados necessários, é por is...

Leia mais...

Contra Covid-19: Porto de Paranaguá cria esquema médico para caminhoneiros

26-03-2020

Os caminhoneiros e trabalhadores portuários que passarem pelo o , no Paraná, a partir de agora terão a ajuda e orientação de equipes médicas para o combate do coronavírus. Por lá poderão fazer a medição de temperatura, avaliação de sintomas compatíveis com a Covid-19 e o encaminhamento ao hospital, dos casos necessários.Segundo o presidente da Port...

Leia mais...

CNA: saiba os detalhes do pedido de ajuda financeira aos produtores

26-03-2020

A Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)  divulgou nesta quarta-feira, 25, de um documento com uma série de propostas para atenuar os efeitos da crise do novo coronavírus no agronegócio.Entre as reivindicações estão a prorrogação automática de financiamento de custeio para produtores que a soma dos contratos totalizam R$ 1,5 milhão,...

Leia mais...